PUBLICIDADE

Universidade abre licenciatura em Ciências Biomédicas

A Universidade de Évora (UE) vai iniciar este ano uma licenciatura em Ciências Biomédicas, já aprovada pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior. De acordo com a reitora da UE, serão abertas 20 vagas, dando sequência à “estratégia de desenvolvimento da área da saúde” na instituição. “Esperemos que, num futuro próximo, abra caminho a um curso de Medicina”. 

O curso integra uma das rubricas de uma candidatura apresentada ao Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), já aprovada e com um apoio de quatro milhões de euros, a qual envolve também a criação de outras “ofertas de primeiro e segundo ciclos e cursos de formação”.

Citada pela Lusa, a reitora da UE, Hermínia Vilar, diz trata-se de “uma licenciatura importante” para a academia, por “juntar uma área estratégica de desenvolvimento da universidade”, o que justificou “a sua integração no contexto do PRR”, vincou. Por outro lado, “este apoio também é importante” porque o curso “terá, com certeza, apoio também de bolsas, o que permitirá uma maior adesão por parte dos estudantes”.

A UE refere tratar-se de uma licenciatura “pioneira a nível nacional”, que atua no campo das ciências biomédicas e da saúde, tecnologias de saúde e sociedade, “respondendo aos principais  desafios emergentes nestas áreas”. 

Destinada a assegurar o ensino graduado nas áreas científicas ligadas às Ciências da Saúde, com uma forte aposta na saúde pública, saúde da comunidade e saúde da família (com destaque para a enfermagem em saúde da família e a medicina familiar), a Escola de Saúde e Desenvolvimento Humano (ESDH), anunciada no início do ano passado, é um projeto que foi “estruturado a pensar no reforço da formação numa área-âncora emergente” da academia alentejana: “Percursos de vida e bem-estar, partindo da capacidade instalada, quer ao nível da investigação, quer em termos do corpo docente, mas também e sobretudo na resposta emergente às necessidades e especificidades da região”, marcada pelo envelhecimento, isolamento e interioridade.

“O objetivo é formar profissionais que contribuam para a humanização dos serviços de saúde” destacou a então reitora, Ana Costa Freitas, acrescentando que o objetivo da nova escola é “oferecer respostas mais eficazes e eficientes para os principais desafios atuais de saúde pública, prestando especial atenção ao perfil marcante da população desta região”. 

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.