PUBLICIDADE

Teresa Pinto Correia: 12 razões para salvar o montado (opinião)

Teresa Pinto Correia professa do MED | Opinião

Teresa Pinto Correia, professora do Departamento de Paisagem, Ambiente e Ordenamento e Diretora do Instituto Mediterrâneo para a Agricultura, Ambiente e Desenvolvimento (MED) da Universidade de Évora apresenta 12 razões porque o montado é importante para travar a desertificação no Sul de Portugal.

1. Barreira entre o deserto e a Europa

Pela cobertura arbórea que mantêm algum grau de humidade, evita a erosão do solo e não tem risco de incêndio porque as árvores estão dispersas, pela acumulação de matéria orgânica e armazenamento de água no solo e pela resistência ao fogo, mais do que qualquer outra cultura, o montado confere ao território no Sul do país maior resiliência às alterações climáticas e ao processo de desertificação.

2. Diminui a escassez de água

Ao permitir a infiltração da água da chuva no solo, o montado reabastece os lençóis freáticos e contribui para a regulação hidrológica das áreas onde se mantêm com impacto nas áreas circundantes.

3. Sequestro de carbono

A matéria orgânica do solo com pastagens, as árvores e o sub coberto arbustivo retiram da atmosfera dióxido de carbono CO2 mesmo enquanto se produzem alimentos derivados dos animais na pastagem.

4. Biodiversidade

Árvores adaptadas ao ambiente Mediterrânico, pastagens biodiversas, manchas de mato nos taludes e zonas com pedras, vários níveis de vegetação e complexidade funcional caracterizam o montado e fazem dele um hotspot de biodiversidade, ao mesmo tempo que lhe confere resiliência e maior resistência a pragas e doenças.

5. Solo mais saudável

O solo, para além de terra, é constituído por uma comunidade complexa de plantas, animais e micróbios, sendo um importante reservatório de biodiversidade, que regula as emissões de gases com efeitos de estufa e promove a saúde de pessoas, animais e plantas. A melhoria das funções do solo, é uma forma de combater as alterações climáticas. No montado, porque é pouco mexido, o solo pode ter uma boa estrutura funcional e muita biodiversidade.

6. Impacto no clima

Para além do sequestro de carbono, o montado, em comparação com a agricultura intensiva e especializada, necessita de pouca água e retêm água no solo, e contribuiu para temperaturas mais moderadas e maior quantidade de humidade no solo e na atmosfera.

7. Produção de carne de forma responsável

Os animais fazem parte do montado. Correctamente balanceados com a gestão e regeneração das árvores, vacas, porcos e ovelhas podem ser produzidos no montado. A emissão de gases com efeito de estufa, pelos animais, é contrabalançada com o sequestro e fixação de CO2 pelas árvores, pastagem e solo. A fileira de produtos únicos de alta qualidade gastronómica e requinte beneficia a economia da região.

8. Cortiça

A cortiça é casca do sobreiro, 100% vegetal e natural com uma abrangência de atributos a aplicações que nenhuma tecnologia conseguiu imitar, igualar ou ultrapassar. Portugal que detém um terço da área mundial de sobreiros é o maior produtor de cortiça do mundo, responsável pela produção de 50% das rolhas mundiais. Um activo único do nosso país.

9. Bolota

Rica em fibra, proteína e antioxidantes, sem glúten e com um perfil de lípidos semelhante ao azeite, a bolota é um alimento de alto valor nutricional que tem sido muito desperdiçado em Portugal. Recuperando uma tradição antiga, vemos hoje a bolota voltar a ser utilizada como complemento de alimentação, como petisco gourmet depois de assada ou como ingrediente da doçaria e padaria regionais.

10. Controlo de risco de incêndio

Os fogos florestais que destroem património e fazem disparar as alterações climáticas têm no montado um inimigo. Gerido pelo pastoreio, com árvores dispersas e pouca biomassa para arder o montado é excelente para reduzir o risco de incêndio.

11. Turismo rural e ecoturismo

O turismo rural nacional e internacional em paisagens de montado tem adquirido importância cada vez maior, fruto das experiências ímpares que proporciona e que vão ao encontro da maior procura de atividades “eco” ligadas à sustentabilidade. No Alentejo têm sido criadas com enorme sucesso experiências turísticas ligadas à observação e contacto com o montado, atividades artesanais associadas, passeios pedestres, observação de estrelas, observação de avifauna, gastronomia e caça.

12. Herança cultural

Há evidência de continuidade do montado ao longo da História, tornando-o parte da herança cultural do Mediterrâneo e da identidade regional do Alentejo. O montado é a paisagem mais icónica do Alentejo, e em parte do Ribatejo, marco de identidade, tradições e costumes. As enormes manchas de sobreiros e azinheiras em planícies onduladas ou em pequenas serras proporcionam uma paisagem única e que inspira serenidade.

(título adaptado pela SW Portugal, tendo em conta o grafismo da revista)

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2023 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.