PUBLICIDADE

Sousel foi o concelho alentejano onde mais choveu

A precipitação caída ontem, dia 13, em Sousel atingiu os 147,3 litros por metro quadrado (l/m2), tendo sido o concelho da região onde mais choveu. Em Marvão caíram 135,6 l/m2 e em Castelo de Vide 115,8 l/m2. Os dados foram avançados à SW Portugal por Luís Mestre, presidente da Associação de Meteorologia do Alentejo, que tem instaladas estações meteorológicas em todos os concelhos da região.

De acordo com esta fonte, em Fronteira e em Monforte, onde se registou a derrocada de diversas estradas, a precipitação foi de 114 1 106 l/me, respetivamente. Já no Alentejo Central, foi em Vila Viçosa (com 80,7 l/m2), Estremoz (73,5 l/m2) e Vendas Novas (59,1 l/m2). 

As fortes chuvas que se fizeram sentir, durante terça-feira, dia 13 de dezembro, provocaram cinco desalojados, no concelho de Estremoz. Trata-se de duas famílias, uma residente no Monte da Balofa, na freguesia de Santa Vitória do Ameixial e outra no Monte do Lameiras, em São Bento do Cortiço. As vítimas foram realojadas em casa de familiares. Ainda em Estremoz houve várias estradas alagadas devido há elevada precipitação.

No distrito de Évora, os serviços da Proteção Civil registaram mais de 70 ocorrências, entre quedas de árvores, uma queda de estrutura em Montemor-oNovo e 47 inundações.

Já no distrito de Portalegre, em Monforte a Estrada Municipal 506, que liga a sede de concelho e a freguesia de Santo Aleixo ficou cortada ao meio, devido ao colapso de uma conduta provocada pela enchente de uma ribeira.

Segundo o presidente da Câmara Municipal de Monforte, Gonçalo Lagem, a quantidade de chuva caída num só dia correspondeu à “precipitação que habitualmente se regista num ano”. Questionado sobre quando é que a estradas vão ser reabertas ao público, o autarca referiu que “ainda não há uma data prevista”, sendo preciso, para já, contabilizar os estragos, orçamentar as obras e abrir os respetivos concursos.  Tratar-se-á de um investimento superior a 400 mil euros.   

Outras via que ficou fechada ao trânsito foi a Estrada Nacional (EN) 243 que liga Fronteira a Monforte e a Alter do Chão, devido ao alagamento da mesma. Ainda neste concelho, colapsaram o tabuleiro e as “guardas” da ponte romana da EN 369, junto ao Centro Ecoturístico da Ribeira Grande, obrigando ao encerramento da via.

Também a Estrada Municipal (EM) que dá acesso à localidade de Fornos do Mocho, da vila de Montargil, no concelho de Ponte de Sor, está encerrada ao trânsito, devido ao colapso da ponte, provocado por um “braço” da Barragem de Montargil. De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários de Ponte de Sor, Simão Velez,”não há previsões de reabertura da estrada” pois, antes, “há que avaliar os estragos e fazer as reparações necessárias”.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2023 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.