PUBLICIDADE

Projeto pioneiro em Évora já produz hidrogénio verde

A empresa portuguesa Fusion Fuel já ligou à rede elétrica portuguesa o seu projeto de demonstração H2Évora, uma instalação que permite injetar na rede eletricidade obtida a partir de hidrogénio verde. De acordo com o semanário “Expresso”, trata-se de “um projeto pioneiro de armazenamento de energia e flexibilidade de produção”. 

Segundo apurou a SW Portugal, o investimento ascendeu a 4,8 milhões de euros e surgiu numa altura em que a empresa está a desenvolver um outro projeto, de maiores dimensões, em Sines, financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).

No caso de Évora, o projeto recorre a um conjunto de eletrolisadores acoplados a painéis solares de concentração (com uma capacidade de geração superior à dos convencionais módulos fotovoltaicos), que produzem hidrogénio verde.

“Esse hidrogénio verde passa depois para uma pilha de combustível, desenvolvida pela Ballard Power Systems, que armazena o hidrogénio, e depois o converte em eletricidade para injetar na rede elétrica quando necessário”, acrescenta o “Expresso”, sublinhando que esta solução “pode vir a funcionar como uma alternativa de armazenamento de energia e flexibilidade para a rede elétrica, funcionando em complemento com outras soluções de armazenamento de curta duração, como as baterias de lítio”.

“Estamos entusiasmados por finalmente podermos ligar o nosso projeto H2Évora, a primeira unidade totalmente integrada de energia solar e hidrogénio verde”, diz o administrador financeiro da empresa, Frederico Figueira de Chaves, segundo o qual a Fusion Fuel pode agora perspetivar o fornecimento de “eletricidade livre de emissões à rede durante muitos anos, numa demonstração da flexibilidade do hidrogénio verde” e da “solução” desenvolvida em Évora.

“Portugal ambiciona estar na liderança dos projetos de hidrogénio verde, contando com a Fusion Fuel para ajudar a atingir este objetivo”, diz, por sua vez, João Galamba, secretário de Estado da Energia.

A empresa, cotada no índice tecnológico norte-americano Nasdaq, assegurou entretanto um financiamento de 10 milhões de euros, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), para avançar com o projeto de produção de hidrogénio verde, em Sines.

Fonte da Fusion Fuel explica tratar-se de uma unidade de produção de hidrogénio verde com 6,6 megawatts de capacidade, cujo investimento total ascende os 25 milhões de euros, e que é composto por 300 eletrolisadores Hevo-Solar (tecnologia desenvolvida pela própria Fusion Fuel). A estimativa é que produza até 764 toneladas de hidrogénio verde por ano a serem usadas no setor da mobilidade, na indústria em Sines ou integrados na rede de gás natural.

Citado pelo jornal digital “Eco”, Pedro Caçorino Dias, responsável comercial da empresa para Portugal, considera que este projeto “fortalece ainda mais a parceria e compromisso com o crescente ecossistema de hidrogénio do país”, sublinhando que programas de financiamento, como o PRR, são “fundamentais para acelerar o desenvolvimento da economia do hidrogénio aqui em Portugal e tornar o país num líder na transição energética a nível global”.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.