PUBLICIDADE

Percursos na Serra de São Mamede promovem turismo

Maria Antónia Zacarias texto

O projeto Valorização dos Percursos Pedestres do Parque Natural da Serra de São Mamede, já concretizado, visa requalificar, valorizar e promover o património natural, associado ao Parque Natural da Serra de São Mamede, contribuindo para alcançar os objetivos e metas fixadas a nível regional, bem como para reforçar a posição deste território.

A vereadora da Câmara de Portalegre, Laura Galão, entende que o potencial turístico do parque, associado à riqueza patrimonial da sua envolvente, permite combinar os recursos naturais, culturais e patrimoniais numa oferta turística multifacetada, suscetível de despertar o interesse de públicos-alvo diversificados, sendo uma mais-valia ambiental para atrair os visitantes e turistas à região do Alto Alentejo. 

Preservar e qualificar, “utilizar” e gerir, de forma sustentável, as sinergias existentes nas marcas identitárias dos valores naturais e endógenos associados ao Parque Natural da Serra de São Mamede, são apostas estratégicas do município de Portalegre em termos de diferenciação turística e territorial. 

Na estratégia de desenvolvimento regional, o património natural e cultural constitui uma referência fundamental para a dinamização de atividades económicas, acrescenta a autarca, considerando que a valorização deste “ativo” terá impactes no aumento do fluxo de visitantes e turistas neste território. 

Segundo Laura Galão, o Alentejo possui um vasto património natural, com destaque para o Parque Natural da Serra de São Mamede, “ponto mais acidentado a sul do Rio Tejo, com uma singularidade única, quer em termos paisagísticos quer ambientais”. Trata-se de uma área protegida situada na Serra de São Mamede, na região fronteiriça do nordeste alentejano, integrada da Rede Natura 2000, que ocupa uma área aproximada de 56 mil hectares, distribuídos por quatro concelhos do distrito de Portalegre: Portalegre, Marvão, Castelo de Vide e Arronches.

“É um parque com características singulares, com uma configuração única, com uma diversidade de fauna e flora e muitas espécies autóctones e esta valorização permite aliar a componente turística à preservação adequada da natureza”, refere. 

A concretização do projeto promoveu a valorização e divulgação da rede de percursos pedestres do Alto Alentejo – Feel Nature – nas vertentes de cycling e walking, com foco na área protegida que constitui o Parque Natural da Serra de São Mamede, “fomentando a sustentabilidade territorial e incrementando o respeito e os valores associados à preservação e conservação da natureza e da biodiversidade”, explicita a vereadora.

DESPORTO AO AR LIVRE

Segundo a autarca, a intervenção integra a requalificação e valorização de quatro percursos pedestres, numa extensão total de 35,7 QUILÓMETROS, distribuídos em três localidades, designadamente: Alegrete (Corredor ecológico – 3,38Km e mais 10,7Km), Reguengo (10,3Km) e Ribeira de Nisa (11,32 Km).

A revitalização dos percursos pedestres permite ainda recuperar as suas condições de utilização para os visitantes , permitindo melhorar a fruição do território que os suporta, sendo possível passear, desfrutando de todas as componentes físicas e sensoriais que as diferentes paisagens têm para “oferecer”, por entre valores singulares, de natureza variada, e sobre o efeito de ambiências cénicas que convidam à sua apropriação e ao aprofundar de conhecimentos sobre temáticas de índole educativa.

“Com esta intervenção disponibilizam-se melhores condições para a prática do pedestrianismo, o que cremos que leve a uma maior afluência de visitantes”, frisa. E acrescenta: “Porém, os princípios de não afetação da conservação da natureza, da biodiversidade e das dinâmicas próprias dos habitats que coexistem nas diferentes unidades de paisagem que suportam os quatro percursos a recuperar, são respeitados em todas as suas componentes, e de forma integrada e concertada”. 

O Parque Natural da Serra de São Mamede é uma das áreas protegidas mais habitadas do país, existindo uma ligação harmoniosa entre o homem e a natureza, a qual é importante valorizar, divulgar e preservar.

A vereadora reitera a importância destas intervenções, definindo-as como “uma simbiose entre as zonas humanizadas e a natureza na sua essência”, referindo que o financiamento destes projetos “ajuda-nos a criar melhores condições para que o turismo possa ocorrer nestes locais” da região.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.