PUBLICIDADE

Évora: Património arqueológico reunido em museu virtual

Das termas romanas ao menir dos Almendres, de um mealheiro medieval ao fontanário do Largo do Colégio, o espólio arqueológico à guarda da Câmara de Évora pode ser agora visitado, de forma virtual, num museu criado na plataforma SketchFab. Segundo a autarquia, o museu resulta de um projeto de divulgação do património local e disponibiliza modelos digitais em alta qualidade de várias dimensões patrimoniais do concelho. 

E é pelas termas romanas, descobertas há pouco mais de 40 anos na sequência de uma escavação no edifício dos Paços do Concelho, que a “viagem” pode começar. O modelo a três dimensões permite ao visitante “circular” pelo monumento, observar as fornalhas, o pórtico ou o frigidarium, destinado aos banhos frios. Ainda do período romano, outra das peças é um friso em mármore de Estremoz, peça que provavelmente também terá proveniência no complexo das termas.

Da pequena Anta de Pomares, próxima da Torre de Coelheiros, cujo diâmetro da câmara não vai além dos 2,5 metros, a viagem avança para o Menir dos Almendres, onde é possível observar, por exemplo, um báculo esculpido em baixo-relevo na zona superior. “Este é o elemento decorativo mais reiterado nos menires da região. Normalmente interpretado como o atributo do pastor, parece sugerir também a ideia do domínio do Homem sobre a paisagem”.

Entre as peças expostas de forma virtual encontram-se um mealheiro medieval, um jarro do século XII encontrado há quatro anos em escavações arqueológicas realizadas no Salão Central Eborense, ou um azulejo azulejo de pavimento, em técnica de corda seca, que faria parte do pavimento de uma das salas do Paço Real de Évora, entre outros objetos.

Destaque ainda para dois fontanários: o do Largo dos Mercadores, cujos orifícios existentes nas pias se devem, muito provavelmente, ao desgaste provocado pelo roçar das vasilhas de água; e o do Largo do Colégio, construído por subscrição pública no ano de 1895.

“Após inventariação e acondicionamento parciais, o espólio está agora a ser alvo de um extenso registo digital por parte dos técnicos municipais”, revela a Câmara de Évora.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.