PUBLICIDADE

Projeto de 1,4 milhões reabilita Cine-Teatro Florbela Espanca

Fechado há 10 anos, só em 2023 é que o Cine-Teatro Florbela Espanca irá reabrir. Em curso estão obras de 1,4 milhões de euros para reabilitar a principal sala de espetáculos de Vila Viçosa.

A poetisa Florbela Espanca dá o nome ao Cine-Teatro em Vila Viçosa. A casa da cultura do concelho está encerrada desde 2012, data em que fechou devido a problemas estruturais. A sua requalificação é um projeto de 2018, mas que devido à ausência de concorrentes aos vários concursos públicos relativos à empreitada foi-se arrastando até hoje. 

O valor inicialmente previamente previsto de 613,6 mil euros não era suficiente para concluir todas as obras necessárias para reabrir ao público este emblemático edifício calipolense, inaugurado a 29 de julho de 1957. Então, com a mudança de executivo no município foi obtido um reforço de verba, tendo sido aprovada a reprogramação da candidatura de “Reabilitação do Cine-Teatro Florbela Espanca de Vila Viçosa” pela Comissão Diretiva do Alentejo 2020, com o valor total de 1,3 milhões de euros. A reabertura poderá ocorrer no próximo ano.

Tendo como objetivo central a concretização de uma política sustentada de regeneração e de reabilitação arquitetónica, a intervenção no Cine-Teatro Florbela Espanca “é considerada como um pilar de desenvolvimento cultural, económico e social fundamental para a vida de Vila Viçosa”, afirma o vereador, Tiago Salgueiro. 

O município refere as obras decorrem num importante equipamento cultural, mormente no domínio da produção dos espaços coletivos de sociabilidades culturais, que “pelo seu significado constitui um edifício singular que se afirmou como uma centralidade na vida social e cultural e que tem em si inscritas dinâmicas temporais específicas de uma realidade cultural e arquitetónica muito vasta”.

De acordo com Tiago Salgueiro, o Cine-Teatro é um espaço multiusos que “permite a realização de espetáculos, colóquios, exibição de cinema, peças de teatro e concertos e, como tal, deve voltar a ter dignidade que merece”. E salienta: “Quando entrámos em funções considerámos que era fundamental fazer um investimento neste equipamento. Uma das nossas prioridades foi fazer esse reforço em termos de verbas que ascendem a 400 mil euros para que pudéssemos acrescentar uma melhoria significativa nas próprias infraestruturas”. 

A obra atualmente em curso visa a valorização e a fruição deste equipamento cultural, cujo projeto de execução prevê alterações de reabilitação do imóvel ao nível dos principais elementos estruturais da sua cobertura, entre outras intervenções.

Tiago Salgueiro explica que a dotação inicial só cobria o sistema de ventilação e as coberturas. “Este valor somente abrangia o sistema de AVAC (aquecimento, ventilação e ar condicionado) e a reabilitação da cobertura, não estando contemplados os foyers (salões e áreas laterais), a climatização dos foyers, o cenário, o sistema de projeção e as pinturas interiores e exteriores, sem os quais será impossível a sua abertura ao público, no acolhimento a diferentes iniciativas”.

Perante isto, a Câmara Municipal fez uma candidatura de reprogramação para que no final do próximo ano o edifício possa voltar a acolher espetáculos e outros eventos culturais. “É um espaço que se encontra na zona histórica de Vila Viçosa, muito próximo do Castelo, tem uma série de condições de áreas que podem usadas do ponto de vista cultural, o que é uma grande mais-valia”.

O vereador assegura que autarquia pretende criar “uma dinâmica de exposições temporárias”, bem como a realização de espetáculos musicais, o que até ao momento não tem sido possível porque não existe na sede de concelho uma sala adequada ao efeito. “Queremos trabalhar em parceria com todas as entidades, nomeadamente com o grupo de teatro de Vila Viçosa que é uma instituição do concelho que se tem visto limitada em termos da sua programação”, acrescenta. 

Além da vertente cultural, o equipamento vai poder receber inúmeras outras iniciativas, “por exemplo, workshops, conferências, colóquios e sessões de esclarecimento para a população”. E atesta: “É um lugar que deve acolher todas estas ações. Como tal, é absolutamente fundamental que esteja aberto para a população, assumindo-se como uma resposta muito positiva para a nossa comunidade”. 

Atualmente, está a ser efetuado o reforço das estruturas, do material cénico, a intervenção nos dois pisos que vão ser destinados a acolher exposições. Os trabalhos, diz, “estão a avançar dentro do que está previsto”. Com a conclusão desta obra, Tiago Salgueiro garante que Vila Viçosa “vai ficar com um equipamento cultural que pode servir não apenas o concelho, mas toda a região do Alentejo”.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.