PUBLICIDADE

Novo Cardeal Patriarca: Um “brioso” cantador do Alentejo

Nomeado pelo Papa Francisco como novo Cardeal Patriarca de Lisboa, Dom Rui Valério foi pároco em Castro Verde e, durante esse período, dedicou-se ao Cante alentejano.

Segundo José Guerreiro, autor do programa “Patrimónios”, da Rádio Castrense, Dom Rui Valério foi mesmo “um brioso cantador” do Grupo Coral e Etnográfico As Vozes de Casével, “sem mostrar quaisquer reservas ou acanhamento em cantar a tradição coral alentejana”.

O até agora bispo das Forças Armadas e de Segurança, que irá suceder a D. Manuel Clemente, que renunciou ao cargo após ter atingido o limite de idade, tem 58 anos, nasceu em Urgueira (Ourém), mas tem uma relação próxima com o Alentejo, tendo estado na paróquia de Castro Verde como coadjutor (de 1993 a 1995), e depois como pároco, de 2001 a 2007.

“O facto de uma parte significativa da minha juventude como sacerdote ter sido desenvolvida com o povo de Castro Verde é uma circunstância que nos remete para uma relação de afetividade. Costuma-se falar do ‘primeiro amor’ e foi aqui, em 1993, que exerci os meus primeiros dois anos de sacerdócio, o que significa que foram anos que me marcaram para sempre”, disse o novo cardeal ao “Correio do Alentejo”, em 2022, quando se deslocou a Castro Verde por ocasião das comemorações da Batalha de Ourique.

Na sua página de Facebook, o Município de Castro Verde manifestou publicamente “a sua enorme satisfação” e felicitou o novo cardeal pela nomeação como novo Patriarca de Lisboa.

“Muito amigo e próximo do concelho de Castro Verde, faz parte dos Missionários Monfortinos e foi vigário paroquial no nosso concelho, durante dois anos, entre 1993 e 1995”, acrescenta a autarquia, recordando que o bispo sempre se sentiu “em casa” na localidade.

“Afável, dedicado, próximo de todos e profundamente envolvido com a comunidade, Dom Rui Valério é um dos nossos e, por isso, o Município de Castro Verde não pode deixar desejar as maiores felicidades no exercício das funções que vai assumir a partir de 2 de setembro”, acrescenta a autarquia.

A agência Ecclesia refere que o novo patriarca de Lisboa “tem como lema episcopal ‘in manibus tuis’ (nas tuas mãos), evocando o abandono nas mãos de Deus; as armas de fé incluem uma referência a Nossa Senhora de Fátima e uma referência ao carisma da família religiosa monfortina, a que pertence”.

Na Conferência Episcopal Portuguesa tem funções de delegado para as relações bispos/vida consagrada e é membro da Comissão Episcopal Missão e Nova Evangelização.

Partilhar artigo:

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2024 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.