PUBLICIDADE

Mais de 100 artistas fazem a M.A.R. por terras de Sines

Francisco Alvarenga texto | Carlos Santos foto

“El Gran Final”, dos espanhóis Bucraá Circus (ES), uma tragicomédia que baseia a sua essência no reencontro de dois palhaços, separados há muitos anos em resultado da eclosão de uma guerra civil, é o espetáculo de abertura da M.A.R. – Mostra de Artes de Rua, uma coprodução do Teatro do Mar com a Câmara Municipal de Sines, que hoje começa.

Plena de emoções e poesia, “El Gran Final” é uma homenagem a um dos mais belos e generosos ofícios do mundo, a arte do palhaço. Será às 18h30, na antiga estação ferroviária.

Pela 21h00, no Largo João de Deus, as também espanholas Hermanas Picohueso levam a Sines P-Acto Idiota. Como os ambulantes que viajavam quilómetros para mostrar os seus produtos no meio da praça, a companhia traz a essa mesma praça a sua “ode ao caos”, num verdadeiro “pacto de fé com o público, com o único objetivo de comer o cérebro de qualquer criatura que ouse ficar diante da meca da idiotice”, sendo o público “convidado a pegar nos seus telemóveis e converter-se”.

Até ao próximo dia 24 de setembro, as ruas e os espaços históricos e naturais de Sines vão ser o palco para os cerca de 100 artistas, oriundos da Bélgica, Espanha, Portugal, Reino Unido e Suíça, que integram os 23 projetos artísticos apresentados pela M.A.R. ao longo destes três dias, em áreas como o teatro, o circo, a dança, a música, a performance, a instalação, workshops, projetos interativos e um espaço para crianças e famílias.

“Apresentamos uma programação de cariz contemporâneo que tem como fim estimular um novo olhar sobre a cidade e as populações que a habitam, numa afirmação e na crença de que a arte pensada para o espaço público cumpre um lugar fundamental na democratização ao seu acesso, pública, sustentável e acessível, um direito e uma afirmação de liberdade”, diz fonte da organização.

Na sexta-feira, a programação inclui “A Voz Humana”, uma criação de Patrícia Andrade e David Pereira Bastos para Teatro do Elétrico, e “Palaphita”, a nova criação de Pia – Projetos de Instalação Artística CRL, com autoria e encenação de Pedro Leal, um espetáculo que se inspira nas palafitas, suas comunidades piscatórias e contadores de histórias, convidando o público a uma viagem pela vida de um pescador em busca do seu lugar, por porto, terra, rio e mar.

No sábado 24, dia de encerramento da mostra, os destaques vão para a música com Surma e Farra Fanfarra, assim como para a companhia de circo-dança que nos chega do Reino Unido com o espectáculo “Smashed”, de Gandini Juggling.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.