PUBLICIDADE

“Deixa uma família unida e determinada em continuá-lo”

Francisco Alvarenga texto | Sara Matos fotografia*

“Deixará um grande legado mas deixa também uma família unida e determinada em continuá-lo”. Quem o diz é Rui Miguel Nabeiro, neto do empresário Rui Nabeiro, falecido este domingo, e que assumiu em 2021 a liderança do Grupo.

“Só posso sentir orgulho e responsabilidade em ser neto do melhor avô que alguma vez existiu, no percurso que fez, na pessoa que foi, naquilo que criou”, acrescenta Rui Miguel Nabeiro, referindo-se ao avô como “o ser humano com maior coração que alguma vez conheci, tinha o sorriso mais feliz que alguma vez vi e as palavras mais acertadas que se podia ter em cada ocasião”.

O ano passado o comendador, os seus dois filhos (João Manuel e Helena) e os quatro netos assinaram um protocolo familiar destinado a “blindar” a propriedade de um grupo empresarial que emprega 3800 funcionários e que opera na produção de café, distribuição alimentares e de bebidas, mas também na área do imobiliário e do turismo.

Na altura foi constituído um Conselho de Família, um órgão consultivo que reúne toda a família e por onde passam as decisões estratégicas. Além disso, filhos e netos assinaram também um acordo parassocial que lhes dá o direito de preferência em caso de algum querer vender a sua participação nas empresas.

Definido pelo Presidente da República como um “exemplo e uma inspiração para todos quantos podem devolver à sociedade um pouco daquilo que esta lhes deu”, o empresário Rui Nabeiro, 91 anos, faleceu no Hospital da Luz, em Lisboa, vítima de infeção respiratória. As cerimónias fúnebres decorrem em Campo Maior.

De acordo com fonte da família, o cortejo fúnebre sairá na manhã desta segunda-feira da sede da empresa e percorrerá diversas ruas da vila. O velório terá início pelas 12h00 na Igreja Matriz da Campo Maior. Na terça-feira, também pelas 12h00, será realizada missa de corpo presente, sendo depois Rui Nabeiro sepultado no cemitério de Campo Maior.

“A grandeza do seu projeto empresarial, é incomum e ímpar”, diz o presidente da Associação Industrial Portuguesa (AIP), José Eduardo Carvalho, classificando Rui Nabeiro como uma das “maiores referências empresariais do país de todos os tempos”.

“O percurso do Comendador Rui Nabeiro e a história do grupo empresarial que construiu, devia ser objeto de uma análise e divulgação obrigatória no sistema formal de ensino, se porventura este tivesse uma forte componente empreendedora”, acrescentou o presidente da AIP, lembrando que o grupo “nasceu no interior do país, demonstrando que o sucesso dos grandes projetos empresariais, não está condicionado pela sua localização geográfica”.

O município de Campo Maior decretou, entretanto, cinco dias de luto municipal. “Figura nacional incontornável e um homem que dedicou a sua vida a Campo Maior e aos campomaiorenses, contribuiu de forma decisiva para o desenvolvimento económico, social, cultural e humano do nosso concelho”, refere a autarquia, em comunicado, no qual lembra que o empresário foi o primeiro presidente da Câmara eleito democraticamente, num mandato que se prolongou entre 1977 e 1986.

“Rui Nabeiro inspirou milhões de portugueses ao longo de várias décadas e o seu legado de dedicação ao trabalho, consciência social e, acima de tudo, humanismo, continuará a perdurar no tempo e a servir de guia para as gerações vindouras, de forma muito especial entre os campomaiorenses”, acrescenta a mesma fonte.

* Fotografia publicada originalmente na página de Facebook da Delta e reenquadrada pela SW Portugal tendo em conta o grafismo da revista

Partilhar artigo:

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2024 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.