PUBLICIDADE

“Foi ótimo voltar a sentir-me útil para a sociedade”

Maria Antónia Zacarias texto

Sandra Lagareiro, Ana Dias e Maria de Fátima Félix… três histórias de sucesso das muitas que têm sido impulsionadas, ao longo dos últimos dois anos e meio, pelo “Motor Social” de Vila Viçosa.

Esta é a história da Sandra Lagareiro, 46 anos, casada e com dois filhos. Nos 10 anos em que esteve desempregada, beneficiou duas vezes do Rendimento Social de Inserção (RSI) e do subsídio de desemprego, frequentou vários cursos e ações de formação, entre os quais o Curso de Formação de Técnico de Informática que tirou através do Centro de Emprego e que lhe permitiu obter o 12.º ano de escolaridade. 

“Em setembro de 2020 entrei no projeto como desempregada de longa duração, sendo que a minha última experiência profissional tinha sido em 2011, como calibradora, na fábrica da tripa, no Alandroal. Desde então frequentei, no Instituto de Emprego e Formação Profissional e na Inovinter, várias formações, uma vez que essa foi a minha fonte de rendimento durante muitos anos”, conta.

Com a equipa do “Motor Social”, Sandra começou a desenvolver competências em diversas áreas, da formação ao empreendedorismo, passando pela elaboração de currículos. “Apoiou-me a mim e ao meu marido também na procura ativa de emprego. Em maio de 2021 iniciei uma prestação de serviços com a Câmara Municipal e em outubro fui selecionada no procedimento concursal a que tinha concorrido, com o apoio do projeto”, explica. 

A equipa do “Motor Social” realizou, ao longo destes dois anos e meio, uma abordagem multidimensional com a sua família, uma vez que também os filhos participaram em diversas ações. Segundo Sandra Lagareiro, só assim foi possível “realizarem experiências que de outra forma, dificilmente, teriam oportunidade pois residimos na freguesia mais afastada da sede de concelho, São Romão – Ciladas”. 

Hoje, esta beneficiária do “Motor Social” congratula-se por estar a trabalhar, “pois é uma vitória pessoal ter saído do desemprego e ter deixado de receber o RSI, o que me trouxe uma grande valorização pessoal e profissional”. Por tudo isto, Sandra Lagareiro garante que este projeto “muda a vida das pessoas do concelho, tem ajudado muita gente e, por isso, considero-o muito positivo para Vila Viçosa”.  

Outras estórias de vida há em que o “Motor Social” também fez a diferença. É o caso da Ana Dias, também desempregada de longa duração, que com o apoio deste projeto na submissão da candidatura conseguiu ser selecionada para o cargo de administrativa numa empresa onde estava a receber formação. “Estou aqui há seis meses e vão renovar-me o contrato. Foi ótimo voltar a sentir-me útil para a sociedade. Contar com o apoio deste projeto para encontrar este trabalho foi ouro sobre azul quer em termos económicos, quer em termos psicológicos”, frisa. 

Maria de Fátima Félix é outro exemplo que fala na primeira pessoa do sucesso desde projeto executado pela Santa Casa da Misericórdia de Vila Viçosa. “Têm ajudado o meu neto, que estou a criar, com a explicação com uma professora. Como eu não percebo de informática, alguns papéis que não sei preencher são eles que me ajudam. Qualquer dúvida que tenha, a equipa resolve imediatamente. Foi uma coisa muito boa para a nossa vila porque fazia muito falta ao nosso concelho”, refere.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2023 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.