PUBLICIDADE

Festival Músicas do Mundo de regresso a Porto Covo e Sines

A 22.ª edição do Festival Músicas do Mundo acontece de 22 a 30 de julho, com 47 concertos de músicos de quatro continentes a realizar na aldeia de Porto Covo (de 22 a 24 de julho) e na cidade de Sines (de 25 a 30 de julho).

Depois de dois anos de paragem devido à pandemia, o festival regressa alinhado com os princípios de representatividade geográfica, estética e cultural que o orientam desde a sua origem, com artistas de 27 países e regiões e uma grande variedade de estilos e pontos de vista. Neste retomar do evento, reforça-se também a preocupação em dar às artistas mulheres a visibilidade correspondente ao seu contributo real para a música à escala planetária.

Uma das zonas do mundo que mais vão contribuir para a presença das artistas mulheres do programa do FMM são as Américas, a começar pelo Brasil, representado nesta edição por Ava Rocha, Bia Ferreira, Letrux e Marina Sena. Ana Tijoux e Pascuala Ilabaca (do Chile), Queen Ifrica (da Jamaica), Omara Portuondo e Daymé Arocena (de Cuba) e Dominique Fils-Aimé (do Quebeque) completam a lista de artistas das Américas nesta edição do festival.

O continente africano volta a mostrar a diversidade das suas expressões musicais, com artistas situados desde o deserto do Sahara (o tuaregue Mdou Moctar) até aos arquipélagos do Índico (Maya Kamaty, da ilha Reunião). Também virão músicos da “potência” Nigéria – Seun Kuti & Egypt 80 e Etuk Ubong -, e um músico francês em processo de religação às suas raízes camaronesas (James BKS).

A música dos países africanos onde se fala o português, com ligações estreitas à cena musical portuguesa, terá representantes angolanas (Aline Frazão e Pongo) e cabo-verdianos (Acácia Maior e Re:Imaginar Monte Cara). De Portugal, estão programados músicos de estilos vão do fado ao reggae: Club Makumba, Dulce Pontes, Fado Bicha, Paulo Bragança, Pedro Mafama, Sara Correia, Simply Rockers Sound System e The Secret Museum of Mankind.

Entre a Galiza e a Catalunha, as músicas de Espanha têm também um ano forte no FMM, com Albert Pla, Angélica Salvi, Baiuca, Maruja Limón e Niño de Elche. Uma nova abordagem ao fado junta Portugal e Espanha no duo Lina_Raül Refree.

Ainda da Europa Ocidental chegam duas novas artistas francesas (Crystal Murray e Lucie Antunes), dois agrupamentos sedeados na Bélgica (a Flat Earth Society Orchestra e a banda multinacional de sabor colombiano La Chiva Gantiva) e um representante da movida multicultural de Londres: Steam Down.

De entre o Mediterrâneo e o Cáucaso, passando pelo Mar Negro, veremos em palco a artista grega Marina Satti, o grupo bósnio Dubioza Kolektiv, a banda cigana romena Taraf de Caliu, a dupla franco-arménia Ladaniva e o artista circassiano Zaur Nagoy. O artista que chega de mais longe a Sines em 2022 é Lakha Khan, embaixador da música do Rajastão, na Índia.

Como é habitual, as geografias do FMM cruzam-se em encontros intercontinentais, de que são exemplos, este ano, os projetos Batida B2B DJ Dolores (Portugal / Brasil), Guiss Guiss Bou Bess (Senegal / França) e KUTU (Etiópia / França).

Além do programa de concertos, o FMM Sines irá oferecer um programa de iniciativas paralelas, com concertos especiais, exposições, conferências, sessões de contos, encontros com músicos e escritores, masterclasses, cinema, visitas guiadas, feira do livro e do disco, espetáculos para a infância e ateliês para crianças com artistas do festival.

O acesso aos concertos mantém o formato de edições anteriores, sendo apenas pagos os concertos noturnos no castelo e os concertos no auditório do Centro de Artes de Sines. Todos os restantes concertos são gratuitos.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.