PUBLICIDADE

Exposição reúne fotografias finalistas de prémio ibérico

Francisco Alvarenga, texto

Juan Carlos Martínez, partiu da imagem documental para criar narrativas fragmentadas ao longo de um processo de pesquisa em que se aborda questões sociológicas relacionadas com a juventude, entretenimento, masculinidade, o desporto ou as redes sociais, onde a pluralidade de ideias e abordagens se manifestam através de várias tipologias de imagem. 

A sua fotografia, a que chamou “Physical Landscape”, conquistou Prémio Internacional de Fotografia “Santiago Castelo”, criado pelo Centro Unesco da Extremadura, e cujos trabalhos finalistas podem agora ser vistos numa exposição patente até final de agosto em Marvão.

O prémio foi criado em 2017 pelo Centro Unesco da Extremadura, em homenagem ao seu antigo presidente de fundador, José Miguel Santiago Castelo, e desde a sua criação tem apostado na defesa e revalorização do património cultural, artístico e natural da Extremadura e agora também do Alentejo e Centro de Portugal. 

Entre os trabalhos expostos destaque ainda para a menção honrosa atribuída a Paco Valverde Gámez pela fotografia “Antes del mundo. Cuarcitas-Paleozóico Ordovícico 485Ma-Berzocana”, onde o autor “faz a representação de um território através da fotografia, a procura da evidência, a imagem como documento eram questões sobre as quais deveria trabalhar com objetivo de compor um arranjo da realidade, onde a fotografia fosse peça fundamental para definir o conceito de paisagem contemporânea”.

A exposição é composta por 28 das obras finalistas desta sexta edição do prémio e constitui uma mostra fotográfica diversa, “onde transparecem diferentes abordagens e perspetivas do vasto património natural e cultural desta Eurorregião”, diz fonte da organização, acrescentando que a iniciativa “está perfeitamente consolidada em termos ibéricos e retomando, apesar da atual situação mundial como a guerra na Ucrânia, uma certa normalidade pós pandemia como mostram o número de concorrentes, que nesta edição atingiram os 62 de ambos os lados da fronteira e que apresentaram 122 trabalhos a concurso”.

O júri foi constituído por Carmen Carvalheira, vice-presidente da CCDR Alentejo e designada para representar o Alentejo, Susana Paiva representante da região Centro, Júlio Vasquez, da Extremadura, Javier Buena, vencedor da edição de 2021 e José Cebrié.

Partilhar artigo:

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2024 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.