PUBLICIDADE

Évora-Monte promove cultura de paz no mundo

Maria Antónia Zacarias texto | Município de Estremoz fotografia

Promover a cooperação entre as cidades e os locais da Europa onde foram assinados tratados e convenções de paz foi o objetivo do projeto denominado “Youth4Peace” que decorreu na torre/paço de Évora-Monte.

Quatro dezenas de jovens de cinco países europeus (Roménia, Croácia, Eslováquia, Alemanha e Portugal) refletiram sobre este conceito, tentando encontrar estratégias para manter a paz, identificar as causas que estão subjacentes aos conflitos, dizendo não à guerra através da negociação e da convivência e “lutando” contra as armas em prol de um mundo mais pacífico. 

Promovido pela Rede Europeia de Sítios da Paz, associação com sede nesta vila histórica, e financiado pelo programa Erasmus+, através da Agência Nacional Erasmus+/Juventude em Ação, o projeto sentou à mesa a geração futura para que pudesse trocar experiências de vida dos seus países, bem como conhecer a realidade alentejana. 

Eduardo Basso, presidente da Rede Europeia de Sítios da Paz explicou ter-se tratado “de sessões com base no princípio da educação não formal, onde foi possível discutir abertamente com os jovens uma série de temas vocacionados para a promoção de um maior conhecimento não só dos tratados de paz, mas das suas consequências”.  

Durante a sua estada em Évora-Monte, os jovens participantes tiveram a possibilidade de encontrar os caminhos para o fortalecimento de uma cultura de paz na Europa. “Não tivemos a veleidade de querer encontrar a solução para a guerra, por exemplo, na Ucrânia, mas falámos muito em paz e de como a podemos preservar”. Eduardo Basso salientou que, até ao início do conflito na Ucrânia, a paz era um conceito teórico para estes jovens, mas, entretanto, passou a ter uma visibilidade muito prática tendo em conta o que estamos a passar”. 

Oriundos de países muito diferentes, mas de locais com realidades históricas similares, porque neles foram assinados importantes tratados de paz, “os jovens trocaram informação sobre as experiências de vida nos seus países e sobre a importância para a História Europeia dos Tratados de Paz, assinados nos locais de onde provêm”. Eduardo Basso considerou ser muito importante que “se tenha falado nos tratados de paz tendo em conta as suas boas consequências, nomeadamente o desenvolvimento económico, social e político”.

Para além da temática da cultura da paz também a implementação dos Direitos Humanos, em particular dos Direitos dos Jovens, esteve em cima da mesa, uma vez que “consolidar todas as formas de aumentar a participação ativa dos jovens na vida democrática de cada um dos países e da Europa em geral é fundamental”.

O presidente da Rede Europeia de Sítios da Paz afirmou que, no último dia, foi preenchido o youthpass que é uma plataforma europeia onde todos os participantes escreveram as suas opiniões sobre o projeto. “Mas mais do que isso, vai ser elaborado um livro denominado ‘Memórias Coletivas’ onde vão ser compiladas as principais conclusões deste encontro, particularmente o que cada jovem ganhou com esta experiência, tudo o que foi discutido e o que vão levar no regresso para os seus próprios países para que possam fazer o spread das ideias aqui abordadas”, frisou. 

Feito o balanço, Eduardo Basso considera que o encontro “foi muito bem-sucedido”, tendo destacado que “não se pode falar em paz reduzindo a questão à situação de não haver guerra, mas identificando possíveis causas dos conflitos, para que seja possível evitar situações de guerras futuras”. Entre as situações apontadas salientam-se “a pobreza, a injusta distribuição da riqueza, o crescente extremismo, as fake news e a desinformação, o racismo, a xenofobia, a destruição da natureza e da preservação ambiental e o aumento do aquecimento global”.

De salientar que os jovens portugueses participantes eram oriundos dos concelhos de Estremoz e Viana do Alentejo, aos quais pertencem os dois locais portugueses onde foram assinados importantes Tratados de Paz (Évora-Monte e Alcáçovas) e também do concelho de Évora (Agrupamento de Escolas Gabriel Pereira).

Partilhar artigo:

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2024 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.