PUBLICIDADE

Direção Regional de Cultura avalia estragos na muralha de Veiros

A Direção Regional de Cultura do Alentejo está a realizar um relatório sobre o desmoronamento de um troço da muralha do Castelo de Veiros, na sequência da forte chuvada que se abateu sobre a região, na passada semana.

A informação foi avançada esta quarta-feira pelo presidente da Câmara de Estremoz, José Daniel Sádio, acrescentando que só depois será possível determinar o montante de investimento necessário para “repor o estado anterior” ao da derrocada e proteger outras zonas da muralha “com risco similar”, tendo sido “feita a interdição” de todo o espaço circundante ao troço que ruiu.

Classificado como Imóvel de Interesse Público, o castelo pertence à Fundação do Asilo de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. A chuva esteve na origem da derrocada de um troço com cerca de cinco metros de comprimento. Segundo José Daniel Sádio, após a realização da vistoria será elaborado um relatório prévio e, mais tarde, juntamente com a Direção Regional de Cultura e com a fundação proprietária, será feito “um plano de intervenção para recuperar” o imóvel.

As chuvas fizeram igualmente estragos em Évora, originando a derrocada de um pequeno troço da muralha, entre as Portas do Raimundo e da Lagoa, e a interdição da circulação pedonal na zona.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2023 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.