PUBLICIDADE

Casa Salgueiro Maia promove “memória histórica” de Abril

Capitão de Abril, figura icónica da Revolução dos Cravos, Salgueiro Maia não quis ser sepultado no Panteão Nacional, antes em Castelo de Vide, onde nasceu a 1 de julho de 1944. No interior no castelo, foi inaugurada a Casa Salgueiro Maia, representando um investimento global de cerca de 1,5 milhões de euros, que “preserva” a memória histórica do capitão de Abril.

Entre as peças que fazem parte do espólio do núcleo museológico figura o conhecido megafone com que, a 25 de abril de 1974, no Largo do Carmo, em Lisboa, o então capitão intimou Marcelo Caetano a render-se e a entregar o poder às forças da democracia. A Casa exibe também o uniforme e o “quico” militar que envergava nesse dia, entre outros uniformes, divisas, flâmulas, estandartes e pendões, insígnias, diplomas e louvores, documentos militares e fichas escolares pertencentes a Salgueiro Maia.

Partilhar artigo:

PUBLICIDADE

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2022 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.