PUBLICIDADE

Artigo de opinião do advogado Luís Assis: “Festas”

Luís Assis, advogado | Opinião

Estremoz tem tudo para ser um ponto de encontro cultural, social, económico e gastronómico, dada a sua história e posição geográfica, para ter umas festas da cidade que sejam um marco central no Alentejo, no entanto, tal não o é.

Mais uma vez, uma decisão errada de realizar as festas no parque de feiras, fora da cidade, com uma programação pouco atractiva, tornam-nas numas festinhas em vez de umas grandiosas festas.

Não há rasgo, nem ambição para tornar Estremoz num centro vivo que a coloque no mapa dos acontecimentos culturais, sociais e gastronómicos do Alentejo, ponto obrigatório de comparência, pela sua importância.

O Crato conseguiu ser uma referência nacional, dando-lhe visibilidade e notoriedade, porém, Estremoz, queda-se numa coisinha de nada, sem significado relevante que valha a pena.

A mudança das festas da cidade para o parque de feiras é um erro, porque esvazia a cidade, não lhe dando vida nem vivência, quando se tem belas e grandiosas praças para se fazer um dos maiores acontecimentos do ano.

Em vez de se ter um cartaz cultural de excelência, opta-se por uma pequena coisinha que não é atractivo para chamar pessoas à cidade, para a visi- tarem e aqui permanecerem e voltarem.

O Rossio, a maior praça de Portugal, tem condições excelentes para realizar concertos e ser o centro cultural do Alentejo, desde que se faça uma programação de excelência.

Tem espaço para se criar uma zona de restauração e apresentação de produtos do concelho, como os enchidos, os queijos, os vinhos, de entre outros, colocando-se quiosques e esplanadas para convívio social.

O Largo do Pelourinho é excelente para completar a oferta musical com as bandas filarmónicas. A configuração de Estremoz é excelente para a realização de percursos urbanos e prática des- portiva, que podem ser oferecidosdurante o dia.

A praça de touros é outra vertente das festas que deve ser mais valorizada e que ganharia mais público se as festas fossem, realmente, festas.

Tudo isto conjugado com a oferta cultural dos museus de Estremoz, o Centro Ciência Viva e a oferta gastronómica, tornariam as festas de Estremoz, no centro cultural e social do Alentejo, promovendo a sua economia.

Viver Estremoz não é, de facto, o lema desta Câmara!

Partilhar artigo:

FIQUE LIGADO

PUBLICIDADE

© 2024 SUDOESTE Portugal. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por WebTech.